Educação
25 Janeiro de 2022 | 08h35

País recebe ajuda de USD 78 milhões para a Educação

Angola conta com mais de 78 milhões de dólares, para ajudar a desenvolver o sistema de ensino e aprendizagem, favorecendo crianças e raparigas que se encontram em situação de vulnerabilidade, disponibilizados pela Parceria Global para a Educação.

De acordo com a ministra da Educação, Luísa Grilo, em 2021, Angola recebeu o convite oficial da Direcção da Parceria Global para a Educação, a fim de aderir a este mecanismo de financiamento, elegível para três modalidades de subvenção, nomeadamente o de multiplicador, com uma quantia de 50 milhões de dólares, sobre a capacidade do sistema, avaliada em 3,7 milhões de dólares, e a de acelerador da educação de raparigas, com 25 milhões de dólares. 


Luísa Grilo afirmou que a disponibilização destes montantes será feita em função das modalidades avançadas, dependendo, em grande medida, do trabalho a ser desenvolvido pelo Grupo Local de Parceiros, que pode ser integrado por mais agências de cooperação multilateral, bem como do sector privado e da sociedade civil. 


A ministra falava, ontem, em Luanda, durante o acto formal de constituição do Grupo de Parceiros Locais, no quadro da Parceria Global para a Educação, que integra os ministérios da Educação, Finanças e Relações Exteriores, com apoios e patrocínios do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), UNESCO, ONUSIDA, União Europeia, Banco Mundial, Banco Africano de Desenvolvimento, embaixadas do Reino Unido, Japão e Noruega. 


Luísa Grilo realçou que a criação do Grupo de Parceiros Locais constitui um passo determinante para a adesão de Angola aos fundos da Parceria Global para a Educação, pelo seu grande contributo, que vai fazer aumentar o acesso à educação pré-escolar e primária e melhorar, de forma contínua e progressiva, os resultados das aprendizagens. 


O programa prevê, ainda, o incentivo à educação das raparigas, promovendo a igualdade de género, garantindo um sistema de educação e ensino mais equitativo e inclusivo, em harmonia com a Agenda de Desenvolvimento Sustentável 2030. 


A ministra esclareceu que a Parceria Global para a Educação é o maior fundo dedicado à transformação da educação nos países menos avançados e é, de igual modo, um mecanismo único de parceria que congrega múltiplos intervenientes, desde o Executivo, agências de cooperação multilateral, sector privado e a sociedade civil. 


A ministra da Educação destacou que a adesão à Parceria Global de Educação é um antigo desejo do Presidente da República, João Lourenço, através de um leque de acções, com destaque à sua intervenção no Fórum Global da Educação 2020, realizado pela UNESCO, onde afirmou o engajamento do Executivo visando o financiamento da educação pós Covid-19. 


A ministra falou, também, sobre o Dia Internacional da Educação, comemorado ontem, sob o lema "Alterar o curso, transformar a educação”. Luísa Grilo realçou que a data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), para enaltecer o contributo da educação para a paz e o desenvolvimento. 


Salientou que os seres humanos têm o poder e o dever de realizar as transformações nas sociedades em que estão inseridas, mas só a educação lhes permite adquirir e desenvolver conhecimentos, habilidades, atitudes e valores, sobretudo ética no agir.

Fonte: JA