Internacional
24 Novembro de 2021 | 11h08

Organizadores de marcha neonazi condenados a pagar indemnização

Os organizadores de uma marcha neonazi, ocorrida há quatro anos em Charlottesville, no Estado norte-americano da Virgínia, foram condenados a pagar uma indemnização de 22 milhões de euros aos manifestantes antifascistas feridos após desacatos.

A decisão do júri foi dirigida contra 12 pessoas e cinco organizações que planearam a marcha Unite the Right (Unir a Direita, em português), noticia a agência EFE.

Da marcha resultaram mais de 50 feridos e uma mulher de 32 anos morreu, após ter sido atropelada por um carro conduzido por um neonazi.

Entre os condenados estão alguns dos mais conhecidos defensores da supremacia branca nos Estados Unidos, como Jason Kessler, o principal promotor da marcha, e Christopher Cantwell.

Este caso foi aberto após uma ação movida por quatro homens e cinco mulheres que ficaram feridos durante a escalada de violência resultante da marcha.

Três dos queixosos sofreram concussões, um deles teve uma fratura craniana e a maioria afirma sofrer de stress pós-traumático que causa insónia, incapacidade de concentração e ataques de pânico.

Apesar da condenação ao pagamento de 25 milhões de dólares [cerca de 22 milhões de euros], a decisão não foi totalmente ao encontro das pretensões da acusação.

O júri não chegou a um acordo sobre duas das acusações, que argumentavam que os organizadores da marcha tinham conspirado cometer atos de violência com motivações racistas.

Em 11 e 12 de agosto de 2017, um grupo de neonazis marchou pelas ruas de Charlottesville entoando frases xenófobas em protesto contra a remoção de uma estátua de Robert E. Lee, de um general esclavagista daquela cidade durante a Guerra Civil dos Estados Unidos.

A esse protesto responderam manifestantes antifascistas que queriam dispersar a marcha e foi nesse contexto que James Alex Fields, ao volante da sua viatura, avançou sobre a multidão de contra-manifestantes, matando Heather Heyer e ferindo cerca de 20 ativistas.

Durante os incidentes dois polícias morreram na sequência de um acidente de helicóptero quando se deslocavam para conter os protestos.

Fonte: JA