Cultura
20 Junho de 2022 | 09h03

Exposição e feira de artesanato marcam as celebrações da data

Uma exposição fotográfica, sobre a comunidade de refugiados em Angola, e uma feira de artesanato, produzida por emigrados de diferentes países, são inauguradas hoje, a partir das 9h00, na capital do país, para saudar o 20 de Junho, Dia Mundial do Refugiado, numa iniciativa da Agência da ONU para Refugiados.

A exposição fotográfica, intitulada "Olhares sobre o Refúgio – perspectivas sobre refugiados acolhidos em Angola”, que vai estar patente no Shopping Fortaleza, em Luanda, até o final deste mês, reúne dez imagens, que propõem um olhar sobre a situação dos refugiados acolhidos em Angola.

Com a mostra, os organizadores pretendem aproximar mais o público da realidade dos refugiados, sensibilizar as pessoas para o tema e chamar a atenção para a necessidade de se pensar em soluções sustentáveis.

Os organizadores realizam, ainda, a partir de hoje até o dia 24 de Junho, no prédio das Nações Unidas, no condomínio Rosalinda, na Samba, em Luanda, uma feira de artesanato, como forma de dar visibilidade ao trabalho artístico de alguns refugiados. Durante a actividade, vão ser expostas uma série de produtos artesanais e artísticos, da autoria de refugiados de diferentes partes do mundo, que pretendem, assim, reflectir, através das produções, as particularidades culturais e artísticas das suas terras de origem.

Este ano, a efeméride é celebrada sob o lema "Todas as pessoas têm direito a buscar protecção”, como forma de chamar a atenção da opinião pública para o direito fundamental de buscar segurança, assim como reforçar um movimento solidário global a favor dos refugiados.

Por ocasião da data, a Agência da ONU para Refugiados aproveitou para reconhecer os esforços do Governo de Angola na busca de soluções e agradecer a comunidade angolana pelo acolhimento da população refugiada no país.

Fonte: JA