Política
21 Setembro de 2022 | 14h37

Ajuste salarial na Defesa e Segurança visa “remuneração positiva" - ministra

A ministra das Finanças, Vera Daves, afirmou, nesta terça-feira, que o ajustamento do salário dos efectivos dos órgãos de Defesa e Segurança visa garantir uma “remuneração positiva”, com base no salário mínimo nacional.

O Conselho de Ministros aprovou hoje, quarta-feira, os ajustamentos dos vencimentos-base dos militares das Forças Armadas Angolanas, assim como os da carreira da Polícia Nacional e das carreiras especiais dos serviços executivos do Ministério do Interior.

Com base na decisão, aprovada em sessão orientada pelo Presidente da República, João Lourenço, o recruta das Forças Armadas Angolanas (FAA) e o alistado na Polícia da Nacional passam a auferir 40 mil 312,33 Kwanzas contra os anteriores 35 mil e 476 Kwanzas.

Os soldados das FAA e os marinheiros, que auferiam 51 mil e 85 Kwanzas, passam para 68 mil 440 Kwanzas, assegurou a ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Dias, em conferência de imprensa, ao lado da titular da pasta das Finanças, Vera Daves,.

Adiantou que os militares dos graus de segundo cabo e marinheiro saem de 61 mil 728 para 78 mil 518 Kwanzas.

Ainda no quadro do ajustamento salarial, os oficiais que ostentam as graduações de subcomissário, brigadeiro e contra-almirante deixam de auferir os anteriores 372 mil 614 e passam para 410 mil e 17 Kwanzas.  

Segundo a governante, os reajustes serão pagos com retroactivos a contar desde o mês de Junho último.