Internacional
21 Setembro de 2022 | 09h24

Vladimir Putin anuncia "mobilização parcial de cidadãos" para ofensiva na Ucrânia

Vladimir Putin fez discurso à nação defendendo a incursão militar no território da Ucrânia, em nome da "defesa dos interesses russos" e anunciou uma "mobilização parcial de cidadãos na reserva" para a ofensiva em curso. "Nós apoiamos" os referendos nas quatro regiões separatistas ucranianas, assumiu.

"Decidimos tomar medidas de acordo com a realidade, nomeadamente para defender a soberania da Rússia, do nosso povo e dos territórios ocupados. Decidi ordenar a mobilização parcial de cidadãos que estão neste momento na reserva e que tenham experiência militar para realização de operações militares", afirmou o Presidente da Rússia, numa mensagem previamente gravada.

O decreto de mobilização parcial foi assinado e deve começar de imediato, referiu Putin.

O líder do Kremlin decidiu ainda "aumentar o fabrico de armamento e inclusive abrir novas fábricas". "Os problemas que surjam devem ser rapidamente resolvidos pelo governo", acrescentou.

"Há regiões da fronteira russa que estão a ser bombardeadas. Utilizam tecnologias da NATO para espiarem em toda a Rússia. Londres e outras capitais dizem que os combates devem passar para o território da Rússia e fazem chantagem nuclear", acusou Putin.

Vladimir Putin falou pela primeira vez à nação russa desde o início da invasão russa na Ucrânia, a 24 de fevereiro. A mensagem gravada esteve planeada para ser difundida na tarde de terça-feira, mas foi adiada para esta quarta-feira.

Fonte: Euronews