Cultura
15 Junho de 2022 | 09h42

Associação Provincial de Luanda quer erguer Museu do Carnaval

A construção de um museu sobre a história cultural de Luanda, no qual vão estar expostos todo o espólio produzidos ao longo de mais de quatro décadas de Entrudo, é um dos focos da nova direcção da Associação Provincial do Carnaval de Luanda (APROCAL).

Em declaração segunda-feira,  à imprensa, à margem do encontro com os jornalistas, nas antigas instalações do Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente, o presidente Tany Narciso garantiu que o projecto está em carteira e quando concluído vai permitir criar condições de conservação de todo material produzido ao longo dos anos.

No encontro, que serviu para apresentar os detalhes e os processos em curso da preparação da maior manifestação cultural do país para o próximo ano, o presidente da APROCAL afirmou que a construção do museu vai permitir criar condições de conservação do material produzido, desde os instrumentos musicais usados, fotografias e as indumentárias usadas pelos diferentes grupos carnavalescos. 

Tany Narciso adiantou que, desta forma, o acervo histórico de Luanda, cuja diversidade é bastante rica, desde as origens, danças e músicas folclóricas, poderá estar a disposição do público e servir como fonte de pesquisas para os estudantes e investigadores nacionais e estrangeiros.

A criação da Escola do Carnaval, disse, é também um dos projectos a ser materializado durante o mandato da nova direcção da APROCAL. A ideia, frisou, é procurar agregar a formação profissional e pedagógica para o reaproveitamento dos quadros formados nas mais variadas disciplinas artísticas. 

As possibilidades do aumento do valor monetários dos prémios atribuídos  aos cinco primeiros classificados de cada categoria do Carnaval de Luanda foi, também, outro aspecto abordado no encontro, o que pode ter uma resposta positiva do Executivo já na próxima edição do Entrudo de Luanda. "Remetemos a proposta ao ministério e esperamos agora que as nossas preocupações possam ter resposta positiva, porque achamos que os prémios já não correspondem a realidade dos dias actuais”.

Pela sua característica espontânea, disse, o Carnaval de Luanda deve ser um produto melhor aproveitado, com a criação de um circuito, amplo e dinâmico junto às comunidades. 

A importância do regresso dos bailes carnavalescos na periferia e bairros da capital foi, também, uma das sugestões apresentada por Tony Narciso, para permitir criar outra dinâmica do Entrudo.

A Associação Provincial do Carnaval de Luanda  (APROCAL)  foi criada em 1999, com o objectivo de ajudar na realização da "festa do povo” na capital, assim como servir de elo entre o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente e os grupos carnavalescos.

Fonte: Jornal de Angola