Economia
05 Maio de 2022 | 15h07

Empresários alemães querem instalar painéis solares em Belize

Empresários alemães manifestaram, no município de Belize, a vontade em investirem na implementação de painéis solares para a distribuição e aumento da potência energética naquela circunscrição, cerca de 200 kms a norte de Cabinda.

A missão empresarial alemã iniciou, esta terça-feira, uma visita de três dias a Cabinda, tendo se deslocado, na quarta-feira, para os municípios de Buco-Zau e Belize para constatar as potencialidades que as zonas oferecem para investimentos específicos.

No final da visita, o chefe da delegação, Klaus Schreiber, reconheceu a existência, nos dois municípios, de vários motivos para investimentos.

Nesta perspectiva, sublinhou que, essa acção, deverá começar tão logo que seja reabilitada a Estrada Nacional N-110, que liga Cabinda ao Miconje devido ao seu estado progressivo de degradação, apesar de as obras de recuperação estarem previstas ainda para este ano.

Falando à imprensa, no final da visita no Belize, Klaus Schreiber, disse que os investimentos nesta localidade do Norte de Cabinda, só serão possíveis depois da reabilitação da referida rodovia para possibilitar a transportação de máquinas e aparelhos, como base da sustentabilidade do desenvolvimento desse município.

"O investimento no Belize é uma realidade. Estamos muito satisfeitos em ver o terreno de mil hectares no Miconje, um projecto preparado que motivou a nossa vinda para Cabinda", salientou o empresário alemão.

Entre outros objectivos, tal delegação pretende investir nos sectores da Agricultura, Minas e construção de casas sociais, assim como colaborar com empresas locais para a formação dos empresários cabindenses, por formas a permitir que estes desenvolvam uma economia regional.

Por sua vez, a embaixadora de Angola na República Federativa da Alemanha, Balbina Silva, disse ter ficado com boa apreciação sobre o município de Belize, com a identificação de muitas potencialidades, o que animou os empresários alemães para possíveis investimentos na circunscrição.

"Estou esperançosa e acredito que os empresários vão materializar os seus propósitos de investirem no Belize, o que de certo modo vai trazer reflexos bastantes positivos na economia nacional e não só, como também no emprego, na redução da pobreza e no empoderamento de várias famílias", anteviu.

Também envolvido na visita, o regedor do Bulo, Paulo Mabiala, disse que o povo está a precisar estes investimentos porque o município precisa de emprego e a iniciativa dos empresários alemães é bem-vinda porque a municipalidade possui terrenos vastos para implementação de projectos.

Já a administradora municipal do Belize, Susana Abreu, disse ter mostrado à missão empresarial alemã, as potencialidades existentes a destacar a floresta do Maiombe e sua biodiversidade de espécies, os recursos hídricos abundantes e as variedades de tipos de rochas e minerais (ouro e diamante).

Belize é um município que comporta três comunas, nove regedorias, 20 sobados, 93 aldeias e uma densidade populacional estimada em 24.507 habitantes. Ocupa uma área de 1.096 quilómetros quadrados.

Hoje, quinta-feira, a comitiva vai trabalhar no município de Cabinda, devendo visitar o Hospital Geral de Cabinda (HGC) no Chibodo, o centro satélite de produção de pintos de São Vicente, na zona da Fortaleza, e a Planície do Vale do Yabi, na zona sul de Cabinda.

Estrada que liga a cidade de Cabinda à vila de Lândana, no município de Cacongo © Fotografia por: Pedro João (Angop)

Fonte: ANGOP