Sociedade
05 Maio de 2022 | 09h53

CPLP congratula-se com Centro de Informação da ONU em Luanda

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) congratula-se com os esforços de cooperação do Departamento de Comunicações Globais (DGC) em Angola para operacionalizar o Centro de Informação das Nações Unidas, em Luanda, em resposta às necessidades dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).

Falando em nome da CPLP, a embaixadora Maria de Jesus Ferreira, representante permanente da missão de Angola junto da ONU, reafirmou terça-feira, em Nova Iorque, o compromisso da comunidade de continuar a trabalhar incansavelmente e com o espírito de cooperação e multilateralismo para fazer avançar os esforços do Comité de Informação e das Nações Unidas, de acordo com os objectivos e princípios consagrados na Carta.

Em nota de imprensa a que o Jornal de Angola teve hoje acesso, à volta dos trabalhos da 44ª Sessão do Comité de Informação, iniciados terça-feira, na sede da ONU, a Missão Permanente lembra que, nas suas actividades, o DGC (sigla em Inglês) deve continuar a usar uma combinação de mídia baseada no ambiente online e meios tradicionais de comunicação, como televisão, materiais impressos e rádio, disponíveis em muitos lares em países em desenvolvimento onde ainda há acesso limitado à internet.

A propósito da celebração do Dia Mundial da Língua Portuguesa, que se assinala a 5 de Maio, a embaixadora Maria de Jesus Ferreira sublinhou que a CPLP promove o uso da língua portuguesa no contexto nacional e internacional e ao fazê-la contribui para o reforço do multilinguismo com o objectivo de reafirmar a importância da diversidade cultural e do diálogo intercultural.

Realçou a utilização destes últimos como facilitadores para projectar o mundo no caminho do desenvolvimento sustentável, da paz e da segurança, com especial enfoque na implementação da Agenda 2030.

A embaixadora disse que a divulgação e a promoção da mensagem da ONU, para além das seis línguas oficiais das Nações Unidas, reforçam a importância de informar, efectivamente, um público amplo, ao mesmo tempo que reflectem o respeito ao multilinguismo e à diversidade cultural no mundo.

 

Fonte: JA