Economia
19 Abril de 2022 | 09h18

Ministro do Comércio representa Angola na 20ª feira de negócios

A vigésima edição da Feira Internacional de Negócios e Comércio Exterior de Espanha (IMEX) arrancou esta segunda-feira, em Madrid (Espanha), com debates sobre a internacionalização da economia espanhola, com foco nos sectores da Indústria, Comércio e Turismo, que contaram com a participação de representantes angolanos.

O evento decorre até ao dia 22 deste mês e Angola está presente com uma delegação multissectorial liderada pelo ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, e que integra o embaixador extraordinário e plenipotenciário da República de Angola em Espanha e não residente no Principado de Andorra, José Luís de Matos Agostinho, a governadora de Luanda, Ana Paula de Carvalho, o secretário de Estado do Comércio, Amadeu Leitão Nunes e o vice-governador do Huambo para o Sector Político, Económico e Social, Francisco Kata, entre outros quadros.

Durante o evento serão revistos os desafios actuais do sector exportador, realçando a importância de incorporar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável no tecido das empresas, para fazer uma rota de internacionalização sustentável, bem como a abordagem de conteúdos sobre a situação actual da Ibero-América para o comércio e o investimento empresarial, conceitos dos sectores financeiro, logístico, turismo, digitalização e transformação digital, fundos europeus e parceria empresarial para a internacionalização.

Temas como a situação de África para o desenvolvimento empresarial, as oportunidades para as empresas espanholas no continente e visão das empresas espanholas que triunfam em África foram salientados na mesa redonda inicial. Durante o evento, representantes da economia espanhola apresentaram vários planos de estratégia para uma maior aproximação com países africanos, como o investimento em universidades africanas e a fundação da Associação de Mulheres por África, com a função de criar um grupo de mulheres empresárias africanas no Quénia e em Marrocos, para, posteriormente, serem lançadas no mercado empresarial mundial, sendo este um projecto que tem como directora-geral Teresa Langle De Paz.

Marta Blanco Quesada, presidente da CEOE internacional, abordou os estereótipos criados às empresas africanas, por falta conhecimento do continente em si, que dificulta a expansão dos negócios, e Ana De Vicente Lancho, representante do Ministério da Indústria, Comércio e Turismo, apresentou uma outra perspectiva que facilita a aproximação de empresários ao interesse em investir em África, por ter o índice mais alto de jovens a nível mundial, o que é tido como uma mais-valia para qualquer empreendedor.

Fonte: JA