Sociedade
18 Abril de 2022 | 14h54

Jornalistas recomendam formações regulares em Língua Portuguesa

Os participantes à segunda acção formativa de quadros da ANGOP na região Sul recomendaram a realização de treinamentos regulares em Língua Portuguesa, principal instrumento do seu trabalho.

O evento, que encerrou sábado, no Lubango, congregou durante quatro dias jornalistas da Huíla, Namibe e Cunene, com o objectivo de dotá-los de conhecimentos sobre cobertura eleitoral, escrita jornalística e Língua Portuguesa, com realce para a qualidade da linguagem, noções de sintaxe, ortografia e semântica.  

A delegada da Agência na província do Namibe, Anabela Fritz, considerou "proveitosa” a formação, pois os formadores estiveram à altura das necessidades dos formandos.

Para a jornalista, os conhecimentos adquiridos vão traduzir-se na qualidade do produto final nas redacções, com ênfase para um melhor tratamento das matérias jornalísticas, com foco para as ligadas a cobertura eleitoral.

Admitiu haver ainda lacunas no uso de algumas regras gramaticais da Língua Portuguesa, o principal instrumento de trabalho, daí a  necessidade desses ciclos serem regulares, para garantir mais qualidade ao produto final.

Por sua vez,  a delegada do Cunene, Luísa Dani, considerou positiva a formação, pelo programa desenvolvido pela equipa de formadores, que vai ajudar a fazer uma cobertura responsável, rigorosa e profissional das eleições.

Ressaltou igualmente a aposta do Conselho de Administração da ANGOP em acções de capacitação regulares de seus jornalistas, o que vai conferir ao Portal mais qualidade nos seus conteúdos.

O formador de Língua Portuguesa, André Mateus, disse que os objectivos, a nível teórico, foram alcançados e, do ponto de vista prático, a avaliação será feita através dos conteúdos publicados.

A província da Huíla deu início ao programa de capacitação e refrescamento e esta terça-feira (19) inicia-se um outro ciclo no Huambo, com a participação de profissionais das províncias de Benguela, Bié, Cuando Cubango, Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico.

O programa termina em Luanda, com a capacitação dos profissionais colocados em Cabinda, Bengo, Cuanza Sul, Cuanza Norte, Malanje, Zaire e Uíge.


ANGOP realiza formação regional sobre cobertura eleitoral na Huíla © Fotografia por: Pedro Parente (Angop)

Fonte: ANGOP