Economia
18 Abril de 2022 | 14h49

Cais Quebra-Mar de Cabinda entra em funções este mês

A nova Ponte Cais do Porto de Cabinda, capacitada para embarcações de grande porte, entra em funcionamento a partir do dia 26 deste mês de Abril, com a realização da primeira viagem comercial do catamarã, entre esta província mais ao Norte de Angola e o município do Soyo, no Zaire.

Trata-se de uma infra-estrutura orçada em 65 milhões de dólares e concebida para mais de 30 anos, em substituição da actual Ponte Flutuante provisória, que há 12 anos gasta ao Estado angolano cerca de 66 milhões de kwanzas por mês, só de manutenção, mesmo depois de vencido o seu tempo de vida útil (um quinquénio).

A mesma contempla uma estrutura de aproximadamente 350 metros de extensão e 12 de largura, estando preparada para a atracação de navios de médio e grande portes, no Cais Principal, e para a atracagem também dos catamarãs e os ferryboats, do outro lado, em simultâneo e sem qualquer interferência de serviços.

A infra-estrutura é parte de um projecto denominado "Cabotagem Norte”, que contempla a construção do Cais Quebra-Mar e do Terminal Marítimo de Passageiros de Cabinda, e também os terminais marítimos de passageiros e cais da cidade do Soyo, na província do Zaire, e também em Luanda.

"As obras praticamente decorrem em simultâneo, sendo que a parte preparada para atracar os catamarãs já está concluída. A área destinada ao ferryboat está em construção e acreditamos que dentro de três a quatro meses também estará concluída”, informou recentemente o PCA do Porto de Cabinda, José João Kuvíngua.

Em entrevista à ANGOP, em meados de Março, o Presidente do Conselho de Administração da referida unidade portuária sublinhara que "neste momento, está em construção a rampa de betão, e aguarda-se por uma estrutura metálica que vai fazer a transição entre a rampa e o ferryboat (embarcação mista para passageiros e cargas)”.

Sobre o Terminal Marítimo de Passageiros, como parte dos investimentos, lembrou que tem uma execução física na ordem de 98 por cento, com gastos de 75 por cento, estando a inauguração a depender da agenda das instâncias superiores. Mas por força da operacionalização do Cais Quebra Mar, poderá, de igual modo, ocorrer este mês.

Neste momento estão a ser montados alguns equipamento que, por precaução, não convinha até então. "São objectos que podem ser removidos, por isso, só serão montados na véspera da inauguração, prevista para esse semestre. Mas está praticamente pronto e só vai depender do calendário das autoridades”, dissera.

Em concreto, o Terminal Marítimo de passageiros comporta salas de embarque e desembarque com capacidade para atender, em simultâneo, 300 pessoas, sendo uma Sala de Embarque com área normal, área VIP e protocolar e Sala de Desembarque reservada às chegadas; restaurantes e a área Administrativa.

O Porto de Cabinda, existente desde 1959, assumindo-se como o Pivô da actividade económica da Região Austral e, ao mesmo tempo, como a porta do desenvolvimento local, pois, por estar numa província com descontinuidade terrestre é então o principal responsável pela entrada e saída de mercadorias.


Vista parcial do Porto de águas profundas do Caio em Cabinda © Fotografia por: Cedida

Fonte: ANGOP