Sociedade
14 Abril de 2022 | 11h02

Reino Unido concede nove bolsas de estudo

Angola e o Reino Unido assinaram, quarta-feira(13), em Luanda, um acordo que visa a concessão de bolsas de estudo, no valor de 180 mil dólares, em benefício de nove estudantes angolanos.

O programa, denominado Edição de 2022/2023, é implementado em coordenação com a Agência Na-cional de Petróleos, Gás e Biocombustíveis (ANPG), numa parceria com a BP, visando, também, promover líderes capazes de exercer influência positiva nas comunidades.

Com a duração de um ano, o projecto destina-se a alunos interessados em fazer o mestrado em Ciências Ambientais, Mudanças Climáticas, Economia e Finanças, Gestão, Energia, Engenharia, Recursos Humanos, bem como Direito e Governação.

O embaixador do Reino Unido em Angola, Roger Marshall, reiterou o compromisso em apoiar iniciativas que visam o desen-

volvimento profissional dos jovens angolanos, "sendo este um dos expoentes má-ximos de todo o trabalho que tem sido feito nos últimos anos”.

Roger Marshall destacou a coragem, empenho e determinação dos estudantes angolanos que participaram no projecto de 2020/2021 e que, num contexto de pandemia, abraçarem o desafio e cumpriram com zelo e de forma positiva o programa.

O diplomata afirmou que o seu país oferece condições e escolas com ensino de qualidade, capaz de enriquecer o currículo necessário e de desenvolvimento humano.

"A educação transforma as pessoas e são as pessoas que transformam as comunidades e as sociedades", disse.

Por seu lado, o vice-presidente sénior da BP, Hélder Silva, disse que o acordo faz parte de um protocolo do bloco 31 com a Embaixada britânica, de mais de quatro anos, no âmbito da cooperação entre os dois países.

Hélder Silva realçou que o programa vai proporcionar a oportunidade de es-tarem entre os líderes do futuro, numa ampla gama de sectores, com ex-alunos influentes, por meio de convites para eventos da Chevening em Londres e no exterior.

"Reiteramos o nosso compromisso em manter parcerias estratégicas como esta e agradecer a oportunidade que nos tem sido dada pelo programa Chevening, pelo Governo britânico", disse.

O programa Chevening" é co-financiado pelo Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido e visa conceder suporte financeiro a candidatos com resultados académicos de excelência, com reconhecido potencial de liderança e com a garantia de acesso a qualquer universidade do Reino Unido.

João Sionguele, mestrado do curso de Finanças e Gestão de Risco, beneficiário do curso 2020/2021, disse ter sido uma experiência única, tendo, mesmo em fase de pandemia, conseguido tirar o máximo proveito.

Segundo o estudante, foram muitos os desafios em relação à nova metodologia de ensino, mais de noventa por cento online e questões de interacção, encontrando-se hoje inserido no mercado de trabalho.

Fonte: JA