Sociedade
07 Abril de 2022 | 12h59

Bispo de Menongue defende construção de mais habitações

O bispo da Dioceses de Menongue, dom Leopoldo Ndakalo, defendeu hoje, quinta-feira, a necessidade de o governo do Cuando Cubango construir mais habitações e outras infra-estruturas, para conferir dignidade à juventude e às famílias vulneráveis da província.

Em declarações à ANGOP, o prelado católico disse assistir com muita preocupação o desmoronamento de residências, por serem construídas com material precário pelas comunidades.

Deu como exemplo o desabamento, recentemente, de uma residência construída com material precário no bairro de São Pedro, arredores da cidade de Menongue, que resultou na morte de uma criança de quatro anos de idade, de uma família de baixa renda.

Disse que o material de construção está muito caro e poucas famílias têm possibilidade de construir uma casa de blocos, pelo que é fundamental o governo criar condições de habitabilidade para a população, a par de outras infra-estruturas, como estradas, escolas, sistemas de água, energia eléctrica e outras.   

No entanto, disse olhar com esperança para as acções do governo, principalmente com o início, este mês, da construção da Centralidade do Tucuve, com 112 apartamentos do tipo T3, com capacidade para albergar mil e 300 pessoas.

No Cuando Cubango, contabiliza-se, até ao momento, mais de 550 casas destruídas e outras danificadas, afectando acima de 600 pessoas, que se encontram ao relento, com destaque para os municípios de Menongue, Cuito Cuanavale, Mavinga, Calai, Cuchi e Cuangar.

Obras do PIIM no Cuando Cubango

O Cuando Cubango vai reiniciar a execução de 13 projetos de impacto social no quadro do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), depois de o Ministério das Finanças ter disponibilizado mais de 547 mil milhões 698 mil de kwanzas, valor das obras.

Trata-se de obras por concluir, como os quatro edifícios de quatro andares e 64 apartamentos para acomodar técnicos da província, os 200 fogos habitacionais nos nove municípios da província, o Hospital do Calai e os sistemas de distribuição de energia eléctrica e de água em Menongue, que possui mais de 380 mil habitantes.

A conclusão da área dos dormitórios do Instituto Médio de Saúde, do Instituto Médio Agrário do Missombo, do Palácio Municipal de Menongue, do edifício da Administração Municipal de Menongue, das obras do estádio de futebol, da ponte sobre o rio Longa, que liga Cuito Cuanavale/Nankova, e a terraplanagem das ruas dos bairros periféricos da cidade capital da província também estão incluídas

Já no âmbito das obras centrais, constam a retomada das obras de construção do polo universitário de Menongue, paralisada há mais de seis anos, que vai permitir a inserção do maior número de estudantes e acomodar os estudantes da Universidade Cuito Cuanavale, que ministra actualmente cursos de Informática para a Gestão Empresarial, Hotelaria e Turismo, Biologia, Enfermagem e Matemática.

Relativamente à água potável, o problema vai ser solucionado, com o aumento da distribuição do líquido em Menongue, que conta actualmente com uma capacidade intermitente de apenas 11 mil metros cúbicos/día, insuficientes para atnder os mais de 380 mil habitantes.

O programa de tutela central contempla igualmente a construção das estradas Caindo/Catuitui, Calai/Cuangar, Cuangar/Calai e Calai/Dirico. Consta igualmente a reabilitação da Estrada Nacional 280, que liga Cuito Cuanavale/Mavinga/Rivungo.

 


Vista parcial da cidade de Menongue © Fotografia por: Nicolau Vasco (Divulgação JA)

Fonte: ANGOP