Economia
09 Março de 2022 | 09h20

Petróleo negociado acima dos 132 dólares

O preço do petróleo foi negociado em alta esta terça-feira, uma vez que a expectativa de sanções contra as exportações russas aumentaram as preocupações sobre a disponibilidade de oferta no mercado internacional, afectando, igualmente, as principais bolsas europerias e americana.

O barril de petróleo Brent, que serve de referência para as exportações de Angola, subiu 7,55 por cento, negociado a 132,51 dólares, enquanto que o WTI tinha alta de 8,18 por cento, ou seja, cerca de 129,17 por barril, quando na segunda-feira, o contrato do petróleo fechou em alta de 4,31 por cento, a 123,21 dólares por barril, após ter chegado a encostar mais 10 dólares.

Ontem, a gigante britânica do petróleo Shell anunciou, que planeja retirar-se do petróleo e do gás russos gradualmente, como resposta à invasão russa da Ucrânia, enquanto que os Estados Unidos da América estão ainda a discutir com outros países uma proibição em massa da importação de petróleo em consequência do conflito iniciado por esta.

Já a Alemanha, o maior comprador de petróleo bruto russo, rejeitou os planos de um embargo de energia, enquanto outros aliados europeus e o Japão estudam a possibilidade de proibir a importação de petróleo da Rússia. A Rússia alertou na segunda-feira que poderia interromper o fluxo de gás natural através de gasodutos da Rússia para a Alemanha em resposta à decisão de Berlim no mês passado de interromper a abertura do controverso novo gasoduto Nord Stream 2.

Se todas as exportações de petróleo da Rússia forem bloqueadas nos mercados globais, analistas disseram que os preços podem subir para 200 de dólares por barril. O impacto económico da guerra na Ucrânia desestabiliza as Bolsas e provoca a disparada dos preços das commodities.

As bolsas europeias voltaram a operar em queda nesta terça-feira, dia 8, depois da sequência de perdas. A bolsa de Frankfurt caiu 0,53 por cento, a de Paris, 0,46 por cento, e a de Londres, 0,40 por cento. Já a bolsa de Madrid subia 1,47 por cento.

Nos EUA, o Dow Jones recuou 0,38 por cento perto, enquanto o Nasdaq baixou 0,94 por cento. Na véspera, as acções europeias assinalaram uma descida de 20 por cento ou mais em relação às máximas devido à possibilidade iminente de uma proibição das importações do petróleo russo. Os principais índices de Wall Street tinham desempenho misto, com pequenas oscilações.

A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão de ontem em baixa de 1,71 por cento. Na China, o índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 2,01 por cento, mínima desde 1 de Julho de 2020. O índice de Xangai teve queda de 2,35 por cento, menor nível desde 4 de Novembro de 2020.

Fonte: JA