Sociedade
24 Fevereiro de 2022 | 08h47

Sacerdote destaca acções de D. Jesus Tirso Blanco

O padre Emílio Cavavo Dala, moderador da Cúria diocesana, destacou, quarta-feira (23), as acções do bispo da Diocese do Luena, D. Jesus Tirso Blanco, ocorrido na terça-feira, em Veróna, Itália, por doença, aos 64 anos.

O sacerdote disse que D. Tirso Blanco foi um bispo que primou pela formação do clero diocesano, porque queria que este (o clero) estivesse preparado para os grandes desafios da Igreja, que passam pela transmissão da palavra de Deus a todos aqueles que se encontram distantes.

Para além da abertura de capelas e ordenação de padres, lembrou, D. Tirso trabalhou na criação e abertura de três seminários, nomeadamente o propedêutico, o seminário de filosofia e o seminário menor, onde são formados seminaristas que desejam seguir a vocação do sacerdócio. No campo social, o prelado trabalhou, persistentemente, na melhoria de vida das populações, com a criação de centros de formação a nível da diocese, abertura de escolas católicas que contribuíram na elevação do número de alunos dentro do sistema normal de ensino.

Segundo Emílio Dala, D. Tirso Blanco contribuiu, igualmente, no combate ao im-pacto ambiental, com a criação do "projecto Gálica”, que tem como objectivo o fornecimento de energia solar às populações que vivem em locais onde não existe a rede eléctrica. "O malogrado foi um defensor dos direitos humanos e ambientais, situação que, algumas vezes, soava mal aos ouvidos de certas individualidades”, considerou o sacerdote.      
 
 O governo provincial do Moxico destacou as qualidades do prelado católico, realçando que "dedicou o seu tempo e vigor em causas nobres, como a melhoria das condições de vida das populações, a emancipação das mulheres e dos jovens, bem como a moralização da sociedade e defesa do ambiente”. As administrações municipais de Camanongue e Luau também destacaram as qualidades do bispo.

O enterro de D. Tirso Blanco ocorrerá no Moxico, para satisfazer um desejo do missionário salesiano expresso ainda em vida, adiantou, ontem, o vigário geral da Diocese do Luena, padre Domingos Cussumua.  "Esse sempre foi o desejo dele. Por tudo o que fez para esta Diocese, não há nada melhor que enterrá-lo cá (Luena)”, afirmou o sacerdote, garantindo que a Diocese está a fazer tudo para que o seu corpo chegue rapidamente ao país.

Bispo "encarnou os problemas do Moxico”, diz MPLA
O Secretariado do Bureau Político do MPLA considera que, desde a sua ordenação sacerdotal, a 28 de Setembro de 1985, D. Tirso Blanco encarnou como seus os problemas da população do Moxico, fazendo dela sua terra.

Numa mensagem de condolências pela morte do prelado católico, o órgão executivo do Bureau Político do MPLA refere que D. Tirso não deixou de manifestar a sua permanente preocupação com os visíveis sinais de aculturação do povo angolano, chamando a atenção para o perigo da crise de identidade daí derivado, com destaque para a perda de certos valores cristãos, como a hospitalidade, a solidariedade e o amor ao próximo.

"Como legado de transcendental importância, D. Tirso Blanco, que pela sua simplicidade e humanidade conquistou o coração da população da terra da paz, Moxico, pregava que, pela unidade e reconciliação nacionais, este não é o momento de se criar divisões entre os angolanos. Por isso defendia a necessidade de sermos de facto um só povo”, lê-se na mensagem.

O Secretariado do Bureau Político do Comité Central, em nome dos militantes, simpatizantes e amigos do MPLA, inclina-se perante a "mui digna memória” de D. Jesus Tirso Blanco e apresenta à Igreja Católica, em particular à Diocese do Luena, sentidas condolências.

Nascido em Buenos Aires, Argentina, licenciado em Missiologia e Comunicação Social, foi nomeado bispo da Diocese do Luena a 26 de Novembro de 2007, tendo consagrado o seu ministério a favor de uma Angola de todos e propensa à abertura mental e espiritual, como reforço da caridade e da solidariedade entre irmãos.

Durante a sua missão evangélica no Moxico, D. Tirso ordenou para o clero diocesano 11 padres, distribuídos nas diversas paróquias da província. Para além da ordenação de padres, trabalhou na abertura de nove paróquias, elevando o número para 13. Isso contribuiu na expansão do evangelho nas mais diversas localidades.

O prelado católico encontrava-se, desde Agosto do ano passado, em Verona, em tratamento médico, devido a complicações de saúde que o obrigaram à evacuação. Por volta das 22 locais de terça-feira, perdeu a vida.

Fonte: JA