Sociedade
17 Fevereiro de 2022 | 13h53

Mulheres integradas em actividades geradoras de renda

Quinze mil 826 mulheres foram integradas em actividades geradoras de renda em diversas áreas, no âmbito do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza (PIDLCP), no último semestre de 2021.

Estes dados foram apresentados esta quinta-feira durante a reunião de balanço da unidade técnica do referido programa que está em alinhamento com o Plano de Desenvolvimento Nacional (PND)2018/2022.

Segundo a ministra da Acção Social Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves,  foram  cadastrados 272 mil 788 idosos em situação de vulnerabilidade  em seis províncias, nomeadamente Cuando Cubango ,  Cuanza Sul,  Huambo, Huíla,  Lunda Norte e Namibe.

A ministra explicou que sem a informação das províncias do Bengo, Bié,  Lunda Norte, Malanje, Moxico,  Namibe, Uíge e Cabinda,  foram reportados dois milhões  639 mil e 016 pessoas.

No mesmo período, adiantou, 64 mil 903 cidadãos integrados em actividades geradoras de rendimento nas 18 províncias do país, enquanto 384 mil 863 crianças beneficiaram de merenda escolar, 387 mil 770 agricultores beneficiários de terras preparadas, sem informação da província do Bengo.

" O barómetro do grau de implantação do programa  é o resultado das acções que devem ser reportadas mensalmente à Unidade Técnica", disse.

No entanto, prosseguiu,  apesar de todos os desafios e constrangimentos registados,  a execução física e financeira do programa, em 2021, é positiva.

"Face aos desafios impostos no acompanhamento e supervisão do programa,  foi criada uma solução tecnológica para a recolha e tratamento dos dados,  facilitando assim a percepção dos resultados das acções implementadas localmente", reforçou.

Faustina Alves considerou ser imperativo que as administrações municipais através das despesas administrativas criem condições para a recolha de dados e cadastramento das famílias e serem lançadas no SIGAS, via Internet.

A ministra apelou aos governos províncias a dinamizarem os grupos de trabalho de acompanhamento do programa de forma a darem apoio as equipas técnicas dos municípios, bem como monitorarem os dados reportados.

O programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza é aberto e flexível a todas as forças vivas da sociedade,  entre elas o sector privado,  Igrejas,  organizações não governamentais,  entre outras.

Cerca de 32,3 mil milhões de kwanzas foram consumidos pelo Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza (PIDLCP), permitindo a execução de 4.036 actividade em 108 municípios, num universo de 5,1 milhões de pessoas.

Huíla: Mulheres recebem kits de trabalho © Fotografia por: Morais Silva (Angop)

Fonte: ANGOP