Sociedade
03 Fevereiro de 2022 | 11h57

Angola defende pagamento de dívidas dos Estados-membros

Angola defende o estabelecimento de um plano para os países membros devedores da União Africana pagarem as quotas. Esta posição foi manifestada, ontem, em Addis Abeba, pela secretária de Estado das Relações Exteriores, durante os trabalhos da 40ª reunião do Conselho Executivo da União Africana, evento que prepara a 35ª Assembleia Anual de Chefes de Estado e de Governos da organização, a realizar-se no fim de semana.

Esmeralda Mendonça afirmou que, devido ao impacto da pandemia da Covid-19 nas economias, o pagamento das quotas em atraso pode ser concluído em 2023. Em declarações à imprensa, no final dos debates que marcaram o primeiro dia dos trabalhos, Esmeralda Mendonça disse que os países devedores não tiveram direito à palavra durante a plenária.

De acordo com a secretária de Estado, outra questão que mereceu atenção particular durante os debates tem a ver com o Fundo de Paz da União Africana, sublinhando que muitos países também não têm honrado o compromisso, incluindo a Líbia, promotora da iniciativa.

A 40ª sessão do Conselho Executivo da União Africana reiterou a necessidade da produção de vacinas contra a Covid-19 no continente e a mobilização de recursos para apoiar os esforços para a fase pós-pandemia.

A tentativa de golpe de Estado na Guiné-Bissau, que mereceu a condenação de vários países, incluindo Angola e do presidente da Comissão da União Africana, Mousa Faki Mahamat, vai ser discutida, amanhã, sob proposta do embaixador daquele país na organização continental.

A 35ª Assembleia Anual de Chefes de Estado e de Governos, que decorre no fim de semana, vai testemunhar a passagem da presidência rotativa da organização,  exercida actualmente pelo Presidente da RDC, Félix Tshisekedi, para o Chefe de Estado senegalês, Maky Sall.

O ministro das Relações Exteriores representa o Presidente da República, João Lourenço, nesta  35ª sessão ordinária de Chefes de Estado e de Governos, que se realiza sábado e domingo, em Addis Abeba. Téte António chegou ao princípio da noite de ontem à capital etíope, onde decorre a 40ª reunião ordinária do Conselho Executivo da União Africana. A 35ª Assembleia de Chefes de Estado e de Governos vai  decorrer sob o tema central "Construir resiliência na nutrição no continente africano: acelerar o capital humano e o desenvolvimento social e económico”.

O tema deste ano vem demonstrar, claramente, a ligação entre a produção agrícola e a segurança alimentar. Pretende-se que os Estados-membros envidem esforços para que a declaração de intenções do tema se materialize em acções e programas concretos de desenvolvimento alimentar e nutricional e inspire estratégias nacionais sustentáveis.

Proclamada em Julho de 2002, em Durban, África do Sul, em substituição da Organização de Unidade Africana (OUA), a União Africana tem 55 Estados-membros.

Fonte: JA