COVID-19
28 Dezembro de 2021 | 10h04

Angola registou 1945 novas infecções e 4 óbitos

A circulação comunitária da variante Ómicron em Angola elevou a taxa de positividade acima de 1000 por cento em apenas 15 dias, de acordo com a informação, avançada, segunda-feira (27), em Luanda, pelo secretário de Estado para a Saúde Pública.

Franco Mufinda, que fazia o balanço da situação epidemiológica do país das últimas 24 horas, disse que de 13 a 27 do corrente mês, observou-se um "aumento exponencial" de casos acima de 1000 por cento e uma redução de recuperados na ordem de 32, 3 por cento. 


O secretário de Estado referiu que na testagem em massa que teve início, ontem, em Luanda, nos largos das Escolas, Mutamba e na Praça do Hospital Josina Machel, foi possível identificar que em 100 cidadãos testados, 25 estavam infectados.

 A percentagem de positividade (25 por cento) encontrada nos três pontos de testagem em massa, frisou Franco Mufinda, é 5 vezes mais alta do que a taxa de positividade acumulada que está na ordem de 5.7 por cento. 


De acordo com o secretário de Estado, a testagem em massa que decorre desde ontem, visa, de forma aleatória, extrair a real imagem sobre a cadeia de contágio do vírus Sars-Cov2, no seio das comunidades. 


Acrescentou que a campanha  feita nos três pontos, permitiu recolher dados em todos os estratos sociais da província de Luanda. Hoje, o processo de testagem vai ter continuidade nos mercados do 30 e Catinton, informou o secretário.  


Situação epidemiológica      


O país registou, nas últimas 24 horas, três óbitos, 1.945 novas infecções e a recuperação de 10 pacientes por Covid-19, informou Franco Mufinda. Os óbitos ocorreram em Luanda (2), Cunene (1) e Malanje (1). As vítimas têm idades entre 29 e 59 anos, todas do sexo masculino.    


No que diz respeito às novas infecções, 1.745 foram registadas em Luanda, 71 no Zaire, 52 em Malanje, 23 em Benguela, 16 na Huíla, 13 no Cunene, 10 no Bié, nove na Lunda-Norte, quatro na Lunda-Sul, uma no Cuanza-Norte e igual número no Cuanza-Sul. 


Os infectados têm idades compreendidas entre 3 meses e 85 anos, sendo 1.310 do sexo masculino e 635 do sexo feminino.  As recuperações, foram registadas no Bié (7), Luanda (2) e Cunene (1). Os recuperados têm idades entre 9 e 69 anos.    


Com estes dados, o país contabiliza 73.697 casos confirmados, dos quais 1.754 resultaram em óbitos, 64.026 recuperados e 7.918 activos. Dos activos, dois são críticos, 18 graves, 55 moderados e os restantes são assintomáticos.        
Nos centros de tratamento da Covid-19, a nível do país, estão internados 164 doentes. Em quarentena institucional estão 192 cidadãos e 803 sob investigação epidemiológica.     


O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) registou, segunda-feira (27), 199 chamadas, todas relacionadas a pedidos de informação sobre a Covid-19. A equipa de saúde mental e intervenção psico-social prestou, nas últimas 24 horas, apoio psicológico por telefone a 48 cidadãos.   


O Laboratório de Biologia Molecular testou 6.383 amostras, das quais 1.945 foram positivas. Desde o início da pandemia, em Março de 2020, foram realizados 1.259.676 testes, sendo 73.697 tiveram resultado positivo. 


Em relação à vacinação, Franco Mufinda informou que desde o início da campanha de vacinação contra a Covid-19, no dia 2 de Março de 2021, foram administradas 11.245.436 doses, das quais 3.901.420 com doses completas.  


"A província de Luanda tem uma cobertura de vacinação na ordem 44.4 por cento, seguida do Namibe 36.7 e o Cuanza-Norte com 28. 8 por cento", informou Franco Mufinda, apelando aos cidadãos para o uso frequente da máscara facial, o respeito ao distanciamento físico e evitar aglomerações populacionais.