Cultura
04 Novembro de 2021 | 16h03

Réplica da estátua de “Negrita” erigida em Mbanza Kongo

A cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, contará com uma réplica da estátua de António Emanuel Nsaku Nevunda, o primeiro embaixador de África a sul do Sahara e enviado do Reino do Kongo junto do Vaticano, em 1608.

A informação foi avançada esta quinta-feira, em Mbanza Kongo, pela secretária de Estado da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, que está na capital do Zaire a preparar a cerimónia de inauguração da estátua, a ser presidida pela ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira.

Emanuel Nsaku Nevunda, apelidado por "Negrita”, foi o enviado especial do rei do Kongo, Dom Álvaro II, para junto do Vaticano interceder por maior autonomia da Igreja Católica no seu reinado, cujos nativos eram impedidos pelo Reino de Portugal de se tornarem clérigos.

Faleceu logo após a sua chegada a Roma (Itália) e foi enterrado na Basílica de Santa Maria de Maior, onde também foi erguida uma estátua em sua memória, cuja réplica será erigida esta sexta-feira em Mbanza Kongo, cidade inscrita na lista do Património Cultural da Humanidade pela Unesco, a 8 de Julho de 2017.

Ao longo da viagem por navio, o mesmo contraiu doença que o deixou bastante debilitado, tendo falecido logo após a sua chegada ao Vaticano, em 1608, depois de ter sido recebido em audiência pelo Papa Paulo IV.

Segundo a secretária de Estado da Cultura, a estátua de "Negrita” tem uma grande importância para Angola e não só, pelo facto de ter sido o primeiro embaixador de África ao sul do Sahara junto do Vaticano e figurar nos anais da história angolana.

Por intermédio do seu busto, disse, Nsaku Nevunda passará a ser homenageado e dignificado pelos munícipes locais e por todos quanto se deslocarem a Mbanza Kongo.

 Maria da Piedade de Jesus não descartou a possibilidade de, a longo prazo, se trabalhar para a trasladação dos restos mortais de Nsaku Nevunda do Vaticano para Mbanza Kongo, dadas as excelentes relações diplomáticas existentes com a Santa Sé.

Mbanza Kongo foi o centro político e administrativo do Reino do Kongo, cuja influência transcendia as actuais fronteiras de Angola, abarcando os territórios da República Democrática do Congo, Congo Brazzaville e do Gabão.

Fonte: ANGOP