COVID-19
13 Julho de 2021 | 11h15

Lunda-Norte sob o risco de ter pacientes graves

A não observância das medidas de biossegurança, numa altura em que as estatísticas apontam para 103 casos positivos, a província da Lunda-Norte corre o risco de ter pacientes com quadro clínico grave, crítico e até de morte, alertou, ontem, no Dundo, o governador Ernesto Muangala.

Ao intervir, na XII  reunião extraordinária da Comissão Provincial  Multessectorial de Resposta à Covid-19,   Ernesto Muangala salientou que, desde  o início  das testagens  aleatórias, no dia 10 de Junho deste ano, a Lunda-Norte regista aumento de casos positivos. Até ontem, foram  confirmados 103 casos positivos, num universo de 2.660 pessoas testadas por RT-PCR  e 982 outras  com antígeneo, segundo o governador.


O também coordenador da  Comissão Provincial Multessectorial de Resposta à Covid-19 esclareceu que foram  testadas 100 pessoas do município do Chitato, dois no Lucapa e um no Cambulo.


Ernesto Muangala  disse que, tendo em conta a deterioração da situação epidemiológica da Província, os  órgãos de Defesa e Segurança, os gabinetes locais da Saúde, Educação, Cultura, Juventude, Desportos, Turismo, Transportes, Mobilidade Urbana, Desenvolvimento Integrado e as administrações municipais devem reforçar  as acções para o cumprimento da medidas  estabelecidas no Decreto Presidencial 173/021 de 8 de Julho.

"Pretende-se, com isso, evitar a propagação do vírus”,  disse o governador.


Mais testagem


As autoridades sanitárias da Lunda-Norte vão continuar com o processo de testagens aleátórias, principalmente em instituições públicas  com maior aglomeração.


A garantia foi dada pela porta-voz da Comissão Provincial da Resposta à Covid-19, Filomena Simão. Referiu que,  até ao momento, já foram feitos testes no Instituto Médio de Saúde, hospitais Geral David Bernardino "Kamanga" e Materno Infantil,  todos no Dundo.

Filomena Simão esclareceu que, dos 103 casos positivos, 88 são do município do  Chitato, dois do Cambulo e um do Lucapa. No Dundo, a  centralidade do Mussungue,  os bairros Caxinde, Camanquenzo -1 e 2 são as  zonas habitacionais com maior número de casos, afirmou.


A Porta-voz informou ainda que dois dos 103  pacientes infectados estão internados no Hospital de Campanha,  no Dundo. Apesar de serem sintomáticos, os doentes estão controlados  por via da assistência médica.

Fonte: JA