COVID-19
11 Julho de 2021 | 10h09

As duas doses da vacina neutralizam variante Delta, diz novo estudo

Uma investigação feita em França prova que a imunização completa contra a Covid-19 cria proteção contra a variante Delta, que se propagou de forma muito rápida em vários países, com prevalência no Reino Unido e nos Estados Unidos.

Os investigadores do Instituto Pasteur anunciaram, esta quinta-feira, novas evidências que reforçam a importância da vacinação completa.

De acordo com o estudo, apresentado na publicação científica Nature e citado pela AP, os testes feitos em laboratório com sangue de dezenas de pessoas vacinadas com uma dose das vacinas Pfizer ou AstraZeneca mostraram que estas "têm fraca inibição" contra a variante Delta.

Porém, semanas após receberem a segunda dose, quase todos tinham aquilo a que os investigadores chamam de um pico de imunidade forte o suficiente para neutralizar a variante Delta.

Os investigadores testaram, também, pessoas sem vacinação que tinham estado infetadas e descobriram que os seus anticorpos eram quatro vezes menos potentes contra esta nova mutação do vírus. Uma única dose da vacina aumenta drasticamente os níveis de anticorpos, espoletando proteção cruzada contra a variante Delta e duas outras mutações.

Estas conclusões dão força às recomendações das autoridades sanitárias para que as pessoas que estiveram infetadas sejam também vacinadas.

Recorde-se que um estudo britânico apurou que as duas doses da vacina da Pfizer, por exemplo, têm eficácia de 96% contra hospitalização e de 88% contra infeção sintomática.

Fonte: NM