COVID-19
29 Junho de 2021 | 11h27

Namíbia bate recordes diários de casos positivos e de mortes

O Ministério da Saúde e Serviços Sociais da Namíbia notificaram, na sexta-feira, 25, 2.547 novos casos confirmados de Covid-19, o maior número diário desde que o primeiro caso foi notificado no país.

A capital, Windhoek, relatou mais de metade das novas infecções, com 1.493 ou 59 por cento de todos os novos casos. "Registamos o maior número de sempre de casos positivos de Covid-19. Este é um assunto de grande preocupação ", disse o ministro da Saúde da Namíbia, Kalumbi Shangula.

O registo negativo eleva o número total de casos do país para mais de 81 mil 270, com a taxa de positividade a subir de 38 para 48 por cento. A Namíbia regista altos níveis de negação social da severidade do coronavírus e da taxa de vacinação, que também enfrenta resistências (cerca de 51 por cento da população manifesta-se indisponível, segundo pesquisas divulgadas na imprensa local) e ainda é muito baixa.

Apenas 110 mil e 600 namibianos receberam pelo menos uma dose e apenas 21 mil e 500 estão totalmente vacinados. O número de mortos também aumentou para mais de 1.300, depois de terem sido relatadas, na sexta-feira, mais 26 mortes relacionadas com a Covid-19. O número representa uma queda significativa, depois das 55 mortes de quinta-feira, o maior número diário até agora. Na quarta-feira, 23, a Namíbia tinha relatado o número anterior mais alto de mortes diárias (45).

O número de recuperações do país é agora de 62 mil 260. No entanto, o Ministério da Saúde lembrou que o número foi pelo menos 10 vezes menor do que as novas infecções. A expansão de novas infecções está a causar preocupação também no exterior da Namíbia, que continua a sofrer com as restrições relacionadas com viagens internacionais.

Os Emirados Árabes Unidos, por exemplo, suspenderam a entrada de viajantes da Namíbia. A França adicionou o país à sua lista vermelha de regiões com maior risco de Covid-19. As autoridades e as empresas namibianas acreditam que as restrições podem afectar negativamente a indústria do turismo e outros importantes sectores.


Dificuldades

O Presidente da Namíbia, Hage Geingob, disse, na semana passada, que o país nunca esperava enfrentar tantos problemas relacionados com a pandemia de Covid-19.

"Temos o pior da situação aqui. Nunca esperávamos isso ", disse Geingob, durante uma visita ao Hospital Intermediário de Katutura e Hospital Central de Windhoek, onde avaliou a disponibilidade de oxigénio.

O Presidente da Namíbia disse que a chegada do Inverno pode ter alguma relação com a rápida disseminação do vírus durante a terceira vaga de infecções. Outras fontes atribuem a severidade da terceira vaga às novas mutações do vírus.


Geingob explicou ainda que a visita aos hospitais serviu para melhorar as discussões no seio do Governo sobre quais as opções para lidar com a falta de camas, instalações apropriadas e oxigénio nas unidades de saúde da capital, Windhoek.

"Imploramos à população que cumpra as medidas de prevenção para vossa própria segurança”, disse Geingob, que se dirigiu especificamente às pessoas imprudentes e que violam as regulamentações de saúde destinadas a conter a disseminação do coronavírus.

Fonte: JA