Sociedade
08 Junho de 2021 | 09h48

MASFAMU E FAO assinam acordo para emponderamento económico das mulheres

Um protocolo de cooperação que visa reforçar o empoderamento económico, produtivo e o agronegócio liderado por mulheres no meio rural e peri-urbano foi assinado, nesta segunda-feira, em Luanda.

Foram signatárias do acordo, a ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher (MASFAMU), Faustina Alves, e a representante da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) em Angola, Gherda Barreto.

O acordo, que tem um orçamento de 150 mil dólares americanos, vai ser implementado, inicialmente, em Luanda, tendo como alvo as cooperativas e associações de mulheres existentes, e vai estender-se, com fundos operacionais adicionais, às províncias do Cunene, Cuanza Sul, Huíla e Huambo.

Liderado pelo MASFAMU, a implementação do acordo tem o apoio dos ministérios da Economia e Planeamento (MEP), que vai tratar do acesso aos mecanismos financeiros públicos e privados para as beneficiárias, e da Agricultura e Pescas (MINAGRIP), que se responsabiliza na identificação de associações e cooperativas de mulheres.       

O acordo visa igualmente o reforço da inclusão económica do agronegócio liderado por mulheres, através do aumento das suas competências, a organização de cooperativas, o acesso aos recursos produtivos e o financiamento ao crédito.

A iniciativa enquadra-se no programa de promoção de género e empoderamento da mulher e está alinhada ao Programa Integrado de Desenvolvimento Local e de Combate à Pobreza, constante no PDN 2018-2022, concretamente nos Projectos de Empoderamento Económico e de Capacitação da Mulher no Meio Rural.

De acordo com Faustina Alves, o reforço das acções de empoderamento da mulher para igualdade de género constitui uma prioridade política e uma premissa das estratégias do país, para o alcance dos objectivos na redução dos índices de pobreza em Angola.

Segundo a governante, esta matéria, pela sua transversalidade, remete para um maior engajamento dos diferentes departamentos ministeriais, assim como a junção de sinergias entre os vários programas do executivo virados para a promoção da mulher, com engajamento dos diferentes ministérios e agências do sistema das Nações Unidas.

A parceria ora assinada com a FAO mobilizou recursos financeiros e humanos, que se juntam aos esforços do executivo, no que respeita ao empoderamento económico das mulheres, no agronegócios para o reforço das suas competências organizadas em cooperativas, sendo intenção que a iniciativca se expanda a todo o país.

Por sua vez, a representante da FAO, Gherda Barreto, referiu que o acordo vai servir também para capacitar as mulheres no agronegócio empresarial, aprimorando as suas habilidades e no fortalecimento dos serviços de microfinanças e crédito rural.