COVID-19
01 Junho de 2021 | 08h53

'Abraço cauteloso'. Como abraçar durante a pandemia, siga estas dicas

Médicos divulgam diretrizes sobre como deve proceder o contacto físico entre indivíduos que já foram vacinados contra a Covid-19, não vacinados e pessoas que sofrem de doenças autoimunes.

No início de maio, autoridades de saúde no Reino Unido deram luz verde aos cidadãos para retomarem aquilo que designaram como 'abraços cautelosos'.

Segundo o professor de doenças infeciosas da Universidade Vanderbilt, Dr. William Schaffner, em declarações à CNN, um abraço seguro tem que ocorrer ar livre e sem contacto cara a cara.

"Se uma pessoa não vacinada quer abraçar outra pessoa, ela deve usar máscara. E ser breve", explica o especialista.

Entretanto, Schaffner afirma que as crianças podem abraçar familiares não vacinados pela cintura e sem beijos, mantendo a face longe do rosto da pessoa abraçada. 

Já, os adolescentes devem utilizar máscara ao darem um abraço e igualmente afastar o rosto da outra pessoa. 

Por outro lado, "pessoas totalmente vacinadas podem se abraçar sem restrições, inclusive em ambientes fechados, e sem máscaras", disse analista médica da CNN, Leana Wen. 

Ou seja, os indivíduos já imunizados têm 'permissão' para abraçar os pais e avós também vacinados pelo tempo que assim entenderem.

Do mesmo modo, podem abraçar um amigo ou um novo parceiro amoroso, desde que estes já tenham sido vacinados.

Os especialistas salientam apenas que a exceção remete para indivíduos que sofrem de doenças autoimunes, sendo que nestas situações é perentório seguir as indicações dos 'abraços cautelosos'. 


Fonte: Lifestyle