Economia
25 Janeiro de 2022 | 08h23

Angola reduz peso da dívida para 74% em relação ao PIB

O peso da dívida de Angola em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) regista descida progressiva, fixando-se em 74.8 por cento, este ano, contra os 126.9 por cento da actualização efectuada em Setembro de 2020.

Segundo Agência de Notação do Risco Financeiro "Fitch Ratings", que no sábado divulgou o relatório sobre a economia angolana, no seu website, Angola deverá, em 2023, ver a dívida baixar mais para 73 por cento, depois de ter estado em 78.5 por cento no final de 2021.

Estes avanços abrem excelentes panoramas para o alcance dos recomendados 68 por cento de dívida em relação ao PIB, um indicador de maior confiança aos investidores internacionais e capaz de trazer mais investimento externo, lê-se no relatório da Fitch Ratings.

Segundo a Unidade de Gestão da Dívida (UGD), organismo afecto ao Ministério das Finanças, até Junho do ano passado, a Dívida Governamental Directa era de 41.9 biliões de Kwanzas. Deste valor, 12.1 biliões estimaram-se como dívida interna, 29.7 biliões como dívida externa e 230 mil milhões de kwanzas são dívida indirecta, através de garantias cedidas, refere o Jornal de Angola na sua edição online de hoje.

Sobre o segundo trimestre, a Unidade de Gestão de Dívida avança que o Banco de Fomento Angola (BFA), com 2.6 biliões de Kwanzas, era o que mais tinha emprestado ao Governo, internamente, seguido do Banco Angolano de Investimento (BAI) com 1.8 biliões.

Na proposta de OGE 2022, o Governo direcciona cerca de 60 por cento para a dívida, aproximadamente 11.2 biliões de Kwanzas. O valor reporta a dívida interna e externa, um mecanismo adoptado pelo Governo para reaquecer a economia e gerar novos investimentos.


Fonte: Angop